quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Meninas da ginástica rítmica sonham com Olimpíadas

A equipe de ginástica rítmica alagoana, Gym, se prepara para o campeonato brasileiro, que será realizado na Paraíba na semana que vem. Paulo, da atleta Mariana Tobias, falou das dificuldades em manter a filha no esporte e do orgulho em ver a filha ser campeã. “Minha filha foi campeã alagoana neste ano nas modalidades com bola e em equipe. Ela sonha em seguir carreira, mas a maior dificuldade é a falta de patrocínio. Nós somos os ‘paitrocinadores’ delas, porque acreditamos que elas têm futuro na ginástica e queremos ver nossos filhos realizados”, disse.

A técnica Anna Sylvia Bono deu mais detalhes sobre a equipe. Ela nos contou que são 19 meninas, entre 9 e 24 anos e que os treinos são diários, de segunda a sábado. “Estamos todos muito confiantes. Treinamos três horas por dia e queremos mostrar que o estado de Alagoas está evoluindo na ginástica. O Espaço Gym tem muitas campeãs de todas as categorias”, afirmou a técnica.

Ela também falou das dificuldades encontradas para manter a equipe. "Não temos local adequado para treinar. Locamos a Fenix e outro ginásio, mas precisamos de mais apoio, a ginástica rítmica é um esporte caro, as roupas custam certa de duzentos e cinquenta reais cada uma, os parelhos também tem alto custo, também tem as viagens, que só acontecem porque os pais ajudam. Precisamos de apoio, inclusive, para trazer profissonias de fora para ajudar a treinar as meninas".

Além de Anna, a equipe de treinadores conta também com Ana Paula Souza e Geraldo Bastos.

Mariana Tobias, campeã alagoana citada no início da matéria, falou de seus planos para o futuro. A menina de 10 anos pretende seguir a carreira de atleta e sonha estar nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. “Se eu pudesse escolher um presente do Dia das Crianças, eu escolheria fazer parte da seleção brasileira de ginástica rítmica”, enfatizou a menina.

Outra atleta da equipe, Renata Fonseca, 15 anos, contou que pratica o esporte há três anos e que foi campeã alagoana na categoria juvenil. “É cansativo treinar diariamente, viajar para as competições, mas é o que eu amo fazer e pretendo continuar”, disse. Renata disse ainda que, mesmo ser uma ginasta, ela pretende ensinar o esporte para outras pessoas. “Se eu parar de competir, serei técnica”, afirmou.

A pequena Sabrina Carvalho, 9 anos, também foi campeã alagoana na categoria pré-infantil. Ela, assim como Renata, disse que tem uma rotina cansativa, mas faz o que gosta e pretende continuar na carreira de atleta. Quando foi perguntada sobre se o esporte interferia na escola, Sabrina tinha a resposta na ponta da língua. “Na escola eu só tiro nota oito para cima. O esporte não atrapalha em nada a minha vida escolar. Sou uma ótima aluna”, afirmou a atleta.

O grupo espera voltar da Paraíba com muitas medalhas, principalmente de ouro. E que os empresários e poderes públicos se sensibilizem e patrocinem as campeãs alagoanas de ginástica rítmica.

Thayanne Magalhães
fotos: Mácio Ândrei

2 comentários:

♥ Tória ♥ disse...

Oie, sou louca por GR e pelo o que vi você também gosta, então queria te perguntar: "Você sabe algo sobre as olimpíadas de 2016 no Rio? Queria muito saber se a Anna Bessonova(Ucrânia/GR) irá participar..."
Desde já, eu agradeço...bjs!

laila disse...

oi meu nome é laila giovanna sou uma ginata estudo no ss.senhor em maceio . eu acho que pra vcs é muito dificil ser uma ginasta profissional